Escolha uma Página

É com muita satisfação que retomo o projeto Cometa Digital. Antes de qualquer coisa, um salve ao amigo Rafael Reis, que engenhosamente criou esta logo em várias cores. Recomendo enfaticamente o trabalho que ele faz na loja Artmanha, em Rio das Ostras. Obrigado, meu amigo! Só este detalhe já me faz recomeçar com uma vibe muito boa…

Tenho muitos outros agradecimentos a fazer, mas não quero fazer textão, pois creio que muitas outras parcerias de trabalho virão e não estão com tempo de sobra para muita cafonice. Ao mesmo tempo que cruzo os dedos, eu lanço firmemente a mão para fechar bons negócios, pois é para você que quero falar: para quem está chegando e para quem já chegou. Falarei bem pouco, pois o que quero mesmo é ouvir e entender onde você quer chegar.

O que faço

Este projeto começou enquanto eu estudava Comunicação Social na faculdade. Estagiário da Riofilme, vim abrindo contatos e fazendo experiências promocionais para produtores e distribuidores — e muitos testes deram certo naquelas antigas comunidades do Orkut. Passo a passo, comecei a desenvolver campanhas online mais robustas, extrapolando a área que me acolheu inicialmente.

A minha carreira profissional fugiu um pouco do olhar estritamente comercial. Em meu currículo fica fácil perceber esta dinâmica a que me submeti. Algumas literaturas chamam este relacionamento, mais imersivo, de branding content. E é esta pegada que eu quero trabalhar com os futuros clientes.

Não falarei muito mais de mim. Quanto ao blog, só posso contar que será escrito para tentar esboçar a solução de alguns problemas gerais e também para apontar ideias criativas que encontro nas seguintes áreas: cinema, cidades inteligentes (e criativas), privacidade online, valorização da arte no cenário banalizado do espetáculo, jornalismo cidadão, governo aberto e muito mais. Espero ir melhorando este espaço, com linguagem simples e sempre direta, para, no futuro, receber a contribuição de gente qualificada.

É isso. Vamos nessa!

Para quem é obrigado a sonhar de olhos bem abertos, todo movimento é invertido. Toda ação se quebra em fragmentos microscópios. Creio, enquanto atravesso os horrores do presente, creio que apenas aqueles em total ausência da condição conhecida como realidade é que podem afetar o nosso destino.

Henry Miller

escritor, Primavera Negra